segunda-feira, 20 de abril de 2009

Bem, meninas

Meu caso é bem esse, raiva, raiva, raiva e não saber como expressá-la.

Quando estou com raiva tenho vontade de rodar a baiana, dizer umas verdades, quebrar o pau da barraca, mas ... não faço nada disso fico quieta.

Minha raiva, eu a cultivo pouco a pouco, nas pequenas concessões que vou fazendo, fazendo, até a outra pessoa achar - que não estou fazendo nada mais que minha obrigação; aí fico magoada, ressentida.

E quando vou dizer alguma coisa, me olham com aquela cara, sabe aquela cara?: "Nossa porque tudo isso, só por causa disso?"

mais um trecho do livro ...

... Pense nestas típicas situações:
Ann está extremamente cansada após um longo dia de trabalho. Pretende passar a noite sozinha, e somente descansar, ver televisão e ler. Seu vizinho, Jack, telefona e lhe pergunta se poderia tomar conta das crianças por uma hora, enquanto ele e a esposa vão até o supermercado. Ann acha que deve ajudar, mas sabe, de experiências passadas, que dificilmente será pelo tempo combinado e que perderá a noite inteira. Vai com relutância até o vizinho. Jack e Penny voltam às 23:30. Foram ao supermercado e ao cinema. A essa altura Ann está com raiva, mas culpa a sim mesma por ter aceitado cuidar das crianças sem antes ter estabelecido as condições. Vai para casa resmungando e come.




Bill e Roz haviam combinado ir ao cinema. Bill telefona do trabalho para Roz para verificar se pode trazer alguns amigos para o jantar. Roz, que já havia começado a cozinhar, aceita sua decisão como um fato consumado e relutantemente concorda, achando que não tem o direito de recusar. Entra na cozinha, bate com as coisas enquanto prepara o jantar, sentindo-se mal humorada. Pensa que Bill esqueceu do encontro para o cinema e se sente rejeitada. Sente-se usada por ele enquanto cozinha, mas ao mesmo tempo culpada por se tão mesquinha e pouco espontânea. Enquanto cozinha não para de beliscar e, quando Bill e os amigos se sentam para o jantar, ela começa a comer com sofreguidão, a essa altura com raiva por causa de sua incapacidade de, antes de mais nada, poder se colocar em primeiro lugar.




Em ambas as situações, Ann e Roz sentem que não têm o direito de pedir o que realmente querem. Ann tem medo de estabelecer os limites de seu próprio altruísmo e Roz não luta por si mesma e pelo cinema combinado. Ambas se culpam por não se terem afirmado e também por não terem um mínimo de egoísmo, até mesmo para saber quais as necessidades que vem em primeiro lugar. As duas comem seus sentimentos desagradáveis em vez de voltar-se para a difícil questão da afirmação. Sentem-se mais seguras usando suas bocas para alimentar-se do que para falar e se afirmar. Pensam que a gordura está falando por elas, embora o sofrimento impeça que as palavras saiam.




Gordura é uma questão feminista de Susie Orbach

3 comentários:

Fênix disse...

Tá na hora de falar o que sente, não precisa ser com raiva, mas começar a dizer o que não quer, porque se vai acumulando, aí sim quando falar vai ser com uma raiva daquelas.
Se coloque, as pessoas precisam gostar de vc. como vc. é... e não como elas querem que vc. seja. ok!
Agora quando não der para segurar a raiva, soque uma almofada, ajuda muito. kkkkkk
Beijos

Vania San disse...

Temos de aprender a dizer não.

Senão só dizemos para nós mesmas, para nossas necessidades, desejos...

eu sou como você e também estou cansada disso...

me sinto péssima quando digo o que sinto!

e como estão acostumados a me "ferrar" ficam assustados quando delimito meu espaço...

vamos aprender, ainda dá tempo!

beijos

Fênix disse...

Boa idéia! Hoje mesmo vou falar com ela.
Grandes beijos e boa quarta.

Os 11 mandamentos da FLY (Finally Loving Yourself) Fonte: Chega de Bagunça
1. Mantenha sua Pia Limpa e Brilhando.
2. Vista-se toda manhã, mesmo que você não sinta vontade. Não esqueça de colocar os sapatos (de amarrar).
3. Faça suas Rotinas da Manhã e as Rotinas da Noite (aquela antes de ir para a cama) todos os dias.
4. Não deixe o Computador te distrair(Ops!!!).
5. Observe as suas atitudes. Se você tirou algo do lugar, coloque de volta.
6. Não tente fazer dois projetos de uma vez. UM TRABALHO POR VEZ.
7. Não tire para fora coisas que você não pode devolver em menos de 1 hora.
8. Faça alguma coisa por você todos os dias. Talvez a cada manhã ou noite.
9. Trabalhe o mais rápido que você puder. Isto te dará mais tempo para se divertir.
10. Sorria, mesmo quando você não estiver disposta. Um sorriso é contagioso. Faz sua mente ficar feliz e você será feliz
11. Não esqueça de rir (gargalhar) todos os dias. Mime-se. Você merece isso!!!