sábado, 27 de fevereiro de 2010

Além da compreensão

Chegou o meu exemplar do livro sugerido pela Ana ...

Transcrevo um trecho:

"Um jovem entra num bar sofisticado e pede uma taça de vinho branco. Sua aparência é impecável: terno, gravata conservadora, sapatos de bico fino. Fala devagar e com clareza. Pega a taça delicadamente - e a derrama com a maior calma do mundo no piso polido do bar.
O barman e os demais clientes não conseguem acreditar no que seus olhos viram. O próprio rapaz é a imagem viva do constrangimento. "Não sei por que eu fiz isso", exclama. "Que vergonha, meu Deus!" E sai corendo do bar.
Na noite seguinte ele retorna, tão bem-vestido quanto antes, e mais uma vez pede uma taça de vinho. O barman hesita por um instante, mas serve-lhe a bebida: "Coitado, devia estar bebado ontem, ou sentindo-se mal", pensa com seus botões. O jovem pega a taça - e derrama seu conteúdo no chão.
- Não estou entendendo - exclama o jovem, consternado. - Que vergonha. Nem sei o que dizer.
- Não diga nada, senhor, mas é melhor sair - rebate o barman. - O senhor está precisando de ajuda urgente. E nem pense em voltar a este bar se não começar a se tratar.
Três anos se passam. O jovem bem-vestido aparece outra vez no bar e volta a pedir uma taça de vinho.
- Eu me lembro do senhor - diz o barman -, e acho que não vou servi-lo, não.
- Entendo que você se sinta assim, mas quero que saiba que segui o seu conselho. Venho me tratando com um terapeuta três vezes por semana há três anos, e só porque a terapia foi extremamente bem-sucedida que me senti pronto para voltar aqui.
- Bem, nesse caso, aqui está o seu vinho.
O jovem sorri, pega a taça ... e derrama o vinho no chão.
- Mas o senhor não falou que o tratamento tinha dado certo?! - grita o garçom, saindo de trás do balcão para empurrar o rapaz porta afora.
- E deu! Agora que eu entendo por que tenho essa compulsão para jogar o vinho no chão, não fico mais com vergonha quando isso acontece.
Moral da história:
não basta entender por que erramos.
Também é importante não errar mais.

6 comentários:

Batalhadora disse...

Oi,Ção!Td bem?
Pois é as vezes cometemos os erros certo e necessários para nos tornarmos pessoas melhores.
Um ótimo findi!
cuide-se!
Beijoss

Batalhadora disse...

Oi,Flor!Tá sumida do nblog hein!Faz tmepo que não atualiza, qta a sua pergunta lá no blgo, a academia não é tão pertinho assim de casa levo 15 min e entre ida e vinda dariam 30 min e pra mim qualquer minuto é precioso.
Uma ótima semana!
Cuide-se!
Beijosss

Ana Carolina Diethelm Kley disse...

Oi, Ção. Adorei o texto. e hj fui ao ITC ver o autor do livro fazer uma palestra, vou amanhã e domingo tb. vale a pena! bjos e até semana q vem

Batalhadora disse...

Oi,flor!Tá sumida hein!!
Cuide-se!
beijosss

disse...

Hehehe, gostei do enfoque (mas com certeza o garçon não!).
Obrigada por sempre passar lá pelo meu canto, mesmo qdo nada parece estar nos eixos como deveria.
Bjs e ótima semana.

disse...

Oi Ção! Tudo a ver o blog da Ana, não? Em várias passagens achei que era eu quem tinha escrito, rsrsrs.
Obrigada pela dica. Já está no reader.
Bjs.

Os 11 mandamentos da FLY (Finally Loving Yourself) Fonte: Chega de Bagunça
1. Mantenha sua Pia Limpa e Brilhando.
2. Vista-se toda manhã, mesmo que você não sinta vontade. Não esqueça de colocar os sapatos (de amarrar).
3. Faça suas Rotinas da Manhã e as Rotinas da Noite (aquela antes de ir para a cama) todos os dias.
4. Não deixe o Computador te distrair(Ops!!!).
5. Observe as suas atitudes. Se você tirou algo do lugar, coloque de volta.
6. Não tente fazer dois projetos de uma vez. UM TRABALHO POR VEZ.
7. Não tire para fora coisas que você não pode devolver em menos de 1 hora.
8. Faça alguma coisa por você todos os dias. Talvez a cada manhã ou noite.
9. Trabalhe o mais rápido que você puder. Isto te dará mais tempo para se divertir.
10. Sorria, mesmo quando você não estiver disposta. Um sorriso é contagioso. Faz sua mente ficar feliz e você será feliz
11. Não esqueça de rir (gargalhar) todos os dias. Mime-se. Você merece isso!!!